sábado, 21 de maio de 2011

DEFESA


Tela Pino Daeni
Na alma a dor se retrai,
Não ouve sequer a razão
Porque o que se quer se esvai,
Infinitamente - bem mais que o coração.

Sem sentido, sem coragem, se abate
Defesa amarga, pranto vencido,
Do combate o sofrido embate
Da lembrança o gosto amargo, a perdida imagem.

Quem sabe ao dormir deságüe o pranto
E nos sonhos a surgir te veja agora,
Não sombra augusta, mas luz divina,
Reflexo, espaço, e eternidade,
Num longo abraço e inquieto beijo.

Ante o impossível perfeito e exato
Tu és a mágoa, o consolo, o anseio e a vida,
A campa idealizada, a pura terra,
Cativa força – sábia mais incompleta obra.

7 comentários:

  1. Infinitamente se defende...

    bem mais que deseja o coração.

    Um olhar de admiração, deixo nos seus fragmentos.

    ResponderExcluir
  2. Eloah

    feito pra mim este post. Caiu como uma luva hoje!

    Òtimo!!!

    bjos

    ResponderExcluir
  3. Olá Eloah,
    Linda postagem. Profunda, singela e melancólica.
    Gostei muito.
    Um grande beijo,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  4. Eloah,

    Lindo poema de amor. Embate entre coração e coração.

    Desejo a seu blog muitas postagens e muitos anos de vida.

    Abração.

    ResponderExcluir
  5. Olá amiguinha, tem um mimo pra vc lá no blog, espero que goste.

    Tenha um final de semana maravilhoso!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Olá Eloah, eu também senti como se tocasse minha alma. Foi pra mim, risos. Concorrência, risos.
    Linda postagem. Gostei. Um grande abraço

    ResponderExcluir
  7. Seu texto esta belissimo eu venho deixar um beijo carinhoso desejar um feliz final de semana beijos meus,Evanir..

    ResponderExcluir

De fragmento em fragmento vou compondo a minha história.Obrigada por fazer parte desta historia.

Fragmentos

Fragmentos

Recomeço

Recomeço