sexta-feira, 17 de maio de 2013

Mistura



Trago na bagagem o sol do teu sorriso vestido de gala e minha determinação e bravura.
A sós, armada do meu entusiasmo preencho meu espaço de ternura absoluta, escuto o riso e para viver a vida ouço o meu silêncio.
Guardo essa paixão estranha, imensa, que se renova neste sorriso, descerra suas asas e ensaia novos vôos.
Junto este tempero para alargar meu coração de esperanças, desgrenhar minha alma e deixar vazar minhas emoções.
A ternura se funde na esperança e faz o tempo obreiro e cúmplice deste excesso de felicidade desejada.
Nesta mistura tudo se faz doçura, até a vida se desalinha se movimenta se amacia e volta por inteira.
É como se tivesse crenças que voam e nas mãos um mundo inteiro de ilusão.


sexta-feira, 10 de maio de 2013

Sei




Minha Homenagem às Mães


Sei de mulheres tristes, submissas, violentadas,
 mutiladas,perseguidas e queimadas 
- sem espaço e sem vida.
Sei de mulheres sedentas, esfomeadas,
 desgastadas do tempo, da dor, 
do medo, das amargas mágoas e das cicatrizes 
incuráveis.

Sei de mulheres que, como tantas, carregam
 nos ombros a herança  sombria de Ser - 
alimentando-se de inquietudes, desesperanças
 e lágrimas que calam fundo na alma e 
deixam rastros na história.
Mas sei também, que estas mulheres no tempo
 e no espaço da vida,
 escondem as dores, descoram as tristezas
 para que no aconchego de seus braços possam
 transformar o silêncio 
da alma em ternura, abrigo e acalanto para
 seus filhos.

Sei da sua acordada fé, sua tenacidade,
 resistência, sua doação, 
sacrifício e a magia da doçura 
que se faz 
leveza intensa e sempre maior.
Sei de suas mãos que 
perpassam, confortam, 
agasalham e transmitem no afago o
 afeto 
 absoluto e pleno do amor ,
 que resiste e persiste  no seu
 coração de Mãe.

Sei  desta transcendência, dádiva generosa e
 catarse purificadora, 
que faz da mulher e do seu amor, 
o amparo único e insubstituível 

no coração do (s) filho(s) amado(s).

Feliz Dia das Mães!


sexta-feira, 3 de maio de 2013

Gesto





Segura minhas mãos,
 quero mergulhar neste teu gesto e me encontrar.

Por tudo que me deste, nas tuas mãos firmarei rabiscos imaginados.

São os acordes de um novo canto, a âncora e o aceno que chegam de mansinho e docemente passeiam.

Segura minhas mãos, sem receios, sem negar ou aprisionar sentimentos que eu tecerei meus versos para  desalojar  tristezas, redimir as mágoas, cicatrizar as dores , afagar minha alma e fazer do coração sede de emoção.

A sós, atravessaremos o escuro amparados pela ternura deste instante, e na magia da alvorada assim florida, caminharemos como almas de flores perfumadas.