quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

ANO NOVO




Deixo-me levar pelo otimismo reinante que paira na alma esperançosa de todos que apostam no recomeço.

É o sentimento balsâmico que deslumbra, alivia a alma, empurra as tristezas, amarra e alimenta os sonhos.

É como se a marca indelével do 1º dia do ano viesse carregada de magia e com a certeza envolvente que, inesperadamente, no espaço de um instante, tudo se transformasse.

É  a contingência que nos faz pegar carona neste tempo que vem até nós generosamente, com a promessa de novas oportunidades, um novo ano, novos dias, novas auroras, e a sensação maravilhosa do reinicio da caminhada.

É como se fosse uma nova luz, um movimento desdobrado ,tal qual o sopro da brisa nos dias quentes, o borrifo das marés que aportam nas praias gorjeadas pela canção dos pássaros e o gosto de sereno nas noites calmas.

É como se viajássemos com os pés no chão, o coração nas estrelas e, de luz tecida, a alma entusiasmada reflorescesse outra vez.

É neste renovar constante que se embala e se afaga nossos sonhos e  a vida se firma e dá brilho à nossa, sempre e nova caminhada.



Feliz Ano Novo a todos, e que esta viagem que se reinicia venha revestida de momentos inesquecíveis e muitas felicidades.

Boa Sorte!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

PRECE

Nesta data de Natal quando o coração
 fala mais alto e a emoção faz da alma
 seu abrigo, deixo aqui, o meu desejo,
 em forma de carinho, á todos vocês
 amigos (as) que aqui aportarem.


Que o não seja a palavra da liberdade e
 da opção;
Que o sim venha possuído da força do 
coração e que a aquiescência seja a fonte
 da razão, da emoção e da paixão;
Que o tempo seja o sinônimo de poder
 realizar e que o infinito, na sua pluralidade,
 possa criar e recriar faces amadas;
Que as certezas encantem a alma inocente, 
que indiferente, de repente, na sua esplêndida
 loucura venha abraçar a lua;
Que o canto não seja um pranto e que o
 som brando seja o adejo que prenuncie 
depois do amor um terno beijo;
Que a vaidade exista sim - mas que venha 
despida do egoísmo e da soberba;
Que as sombras sirvam apenas como
 ponto de parada não de chegada e
 que a luz seja o
 lume que norteia as curvas do caminho;

Que a mocidade não se perca nas horas 
contadas e recontadas e que o coração se 
revista e resista na eterna esperança,
 em abundância;

Que os sonhos sejam a aurora que
 mora faustísssima e faça do
ser e do ter real significado.
Que o sorriso e o franco riso 
carreguem de ternura a ventura que
 fulgura e propicia a
 alegria pura.

Que o amor indômito, em festa, 
manifeste os sentimentos e que os
 desejos sejam a harmonia 
que vibra, eleva e dá dignidade a alma.
Que a maldade fique aquém e além
 e que se faça sempre o bem para alguém;
Que as amizades estejam sempre presentes 
e que não falte nunca ombros amigos;
Que as mãos se estendam em
 direção 
a outras mãos e que a inclusão esteja
 presente no coração de todos;
Que o trabalho seja a fonte da vocação e 
o condão da realização;
Que a viagem seja uma trilha luminosa
 e que os pés, ao sair do ninho, no compasso,
 acertem o passo, e na sua inevitabilidade
 emprestem a marcha, o brilho das estrelas, 
o sabor do vento, o calor do sol, o conforto
 da humanidade e o preciosismo da vitória.
Enfim, que a paz seja a constante de
 todo instante.


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

REENCONTRO


A felicidade percorre caminhos inexplicáveis. Pode chegar de mansinho e nos tocar de leve como brisa no primeiro embalo da natureza, ou intensamente, fazendo a vida palpitar e o coração alçar grandes voos.

Deixo-me transportar por este momento mágico do reencontro - riso estampado no olhar e de luz acompanhada, vou caminhando num delicioso torpor.

Longe muito longe visito o tempo, agarro o sonho perdido, a dor das saudades e os aromas esquecidos e abraço o mundo com as mãos recheadas de esperanças.

Tal qual celeste vento, sopro de ternura, a alma  tecida de felicidade , súbita e inesperadamente se irradia –  se transforma em encanto e eterna melodia.

Faço do teu olhar todo o meu espaço, no teu corpo minha morada e das tuas mãos recolho todas as carícias desejadas.

Amante, amada, amorosa e muda, no silêncio que paira , coração ajoelhado, em ti me mesclo e sigo o curso mágico do amor.


sábado, 10 de dezembro de 2011

PARTIDA


Solto as amarras que me prendem
Arranco num sopro
As raízes que me cercam,
Mas presa no meu medo antigo,
Sem referencial,
Perco-me no momento e
Esqueço que existo.




quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

CELEBRAÇÃO - 8 de dezembro

Carregando o tempo que já é distância, sinto o passado escorregando entre minhas mãos e o presente, aqui e agora, no desafio eterno da caminhada que prende e enlaça a vida.

Sinto-me abençoada, iluminada poderosa e capaz por tudo que a vida generosamente tem me proporcionado.

Entre nevoeiros frios, dores, amores, abismos imensos, lágrimas e prantos, fui premiada pela força inerente da alma que vence as dificuldades e é capaz de renascer instante a instante e vislumbrar no caminho brilhos imprevistos, que fazem da minha vida uma história feliz.

Celebro esta data agradecendo o privilégio de encontrar na caminhada pessoas especiais, que despertaram em mim sentimentos de carinho, de amizade, de amor, de paixão e compaixão, levando-me a alçar grandes voos, a carregar a felicidade nas mãos e a viver com plenitude a grande aventura do mundo.

Celebro os bons momentos, recheados de magia, que inundaram a minha alma de luz, de manhãs serenas, brisas e sóis, aromas perfumados, delicadeza, doçura e, sobretudo de amor.

Celebro a minha linda família - lealdade, razão primeira.

Celebro meus novos amigos poetas, que lavram com carícias palavras e sonhos, e dão a vida o brilho merecido.Adornam o caminho e me fazem ver sonhos crescendo, e na sensibilidade, inefável e serena das palavras, os tesouros guardados e alinhavados que só a alma do poeta é capaz de perceber.

Por todas estas benesses recebidas, visto-me, hoje, de festa, coloco o meu melhor sorriso e comemoro com todos vocês meu aniversário

Tim...Tim!


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Devaneio



Não quero o céu em outro lugar, quero-o aqui, de luz iluminado, na morna placidez de teu aconchego.

Quero o tempo eterno, o jorro sonolento do orvalho e muitas flores  para colorir minha alma e  fazer dela novas auroras.

Quero fazer deste tempo, delírio, loucura, repouso, ternura e ante o amor que se extasia terei os pés no chão e o coração nas estrelas.

De suave graça, vestida de lua, na claridade das madrugadas, tomarei o céu de assalto e contigo caminharei pelo infinito.


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Não Sei


Não sei mais quem, és.
Vejo-te um instante, depois me perco deste olhar.

Todo o impulso delicioso da chama que nos une se mistura na ansiedade dorida e calada. Incertos os pensamentos revoam como aves de verão ao fim da tarde.

Ergo a vida, amarro no infinito e com um rito precioso entrego, a ti. E tu serás como um sonho, feito  de desejos.

Procuro o sentido da ilusão.Penetro no mistério das nossas solidões.
Quero fazer desta dança entre o improvável e a realidade, passos que levem ao encanto e a calma, serena, da doce apoteose.

Quero partilhar contigo o preciosismo do sentimento que floresce para a vida, fecundado de amor.

Se, és quimera ou doce alento, não sei, só sei que de emoção embevecido meu coração respira.


segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Pensamento


 Deixa teu pensamento
Voltear
Disperso
Imerso
No universo.

Deixa teu pensamento
No nevoeiro
Suspenso
Inteiro e
Solitário.

Em outras esferas
Sem sombras
Que assombram
Desce teu véu
Espia o céu.



sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Mensagem


Vai em busca de teus sonhos.
Constrói a tua jornada.
Amacia teus caminhos, com elegância e abundância.
Não abafes teus desejos - mas não vivas só de ilusão.
Luta arduamente e ultrapassa teus escuros corredores.
Vibra!
Afaga tua alma e vive com paixão.
Não esqueças teus ideais.
Corre a favor dos ventos, mas descansa em brisas frescas.
Ultrapassa teus limites,  aceita sem receio,  elogios e  aplausos da platéia.
Convive com as tuas experiências -  mas crê , muito há de acontecer.
Descobre teus talentos e busca  as tuas oportunidades.
 O sucesso é sempre a meta.
Ouve , aceita e reconhece o outro.
Partilha, muda o passo, muda o curso - incorpora.
 Recompensa é a união de forças.
Fala. Divide teus sentimentos, não vivas  a beira do mundo.
 Tu és parte da história.
Sê inteiro, sintoniza com o universo
Afasta teus fantasmas e vislumbra a tua morada.
Livra-te das  sombras e das arestas. A vida é prenhe de belezas.
Seduza teu coração
 Acaricia as tuas lembranças e espalha as tuas saudades.
Foge das tuas tristezas e levanta  grandes vôos.
Sacia a tua vontade, conta as estrelas e canta uma canção.
Brilha. Sê feliz!
Aproveita  essa chance.
Vive!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Lágrima


De tanto segurar a vida
De tanto enganar o coração
De tanto poupar a dor
Escondida a emoção se retrai.
Proibida
Perdida
Esmaecida
Como um sussurro no ar
Se dilui
Escapa, sai
Se esvai.


sábado, 12 de novembro de 2011

Verdade


Hei de te dizer sempre
Mesmo que a voz se cale
Levada pelo vento, desnudada a alma,
Se, creio que o coração te fale.

Hei de te dizer sempre
Ao ver-te, sombra plácida, figura amada
Que acordada lembrança pura,
 No meu peito moras.




segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Silêncio



Prepare o teu silêncio, tal qual uma oração, e te assentas neste repouso secreto desprendida de tudo que intimida.


 Busca a força de uma armadura e a calmaria colhida dentro do coração.

Toca nos teus sentimentos e faça deste momento de beatitude íntima, reverentes pontos perfeitos.

Ouve o silêncio, despe-te dos claustros de dores, funde-se na harmonia e segue por caminhos serenos e livres em busca da tua essência.

Despeje tua augusta poesia atraída pelos mistérios da vida.
Com o peito estrelado, segue com o amor e a ternura acordados, nos indefinidos estados da alma.

Avigorada, floresça e alvoreça. 
Purificada, viva, penetrante e tocante  deixe-se seduzir pelo repouso secreto e pela bem aventurança.

És,  aragem perfumada, és miragens infinitas, és jorro de canções, perfume das rosas, sobejos de sóis, orlas do horizonte, o calor da vida e sentimentos intensos e imensos.

És, enfim,um ponto de luz e a calada ansiedade de quem espera serena no silêncio reverente.


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

SAUDADES


Sou campo minado, sonhos desfolhados e ferida exposta. 
Na distância, a luz se extingue perdida na escuridão. 
Assento no caminho e quero eternizar o efêmero que teima em me abandonar.
Visito o tempo e o vento se ergue e se espalha - a alma se dobra e o universo parece dormir no silêncio que rola.
   Da ausência trago apenas o sopro da saudade.
Da tua imagem sobrou o que tenho dentro de mim.
É... meu coração que insiste em te deixar ficar.


domingo, 30 de outubro de 2011

Imaginação



Aqui, mesmo, agora, acordo a imaginação.
É o sentimento vulnerável, melancólico e nômade que busca outro brilho, outra luz, outro aroma, magia ou movimento capaz de trazer felicidade.
Nesta ansiedade do sonho, sob a augusta solidão da alma, meu coração à deriva pega carona e neste processo misterioso, audaciosamente, alenta a fantasia.

É em sequência que a vida caminha e acontece.




sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Momento


Tomo o céu de assalto e procuro viver meu momento.
São nuvens que o vento traz como brisas frescas de verão.
Nas dobras do tempo ,prendo o vento com gosto de sereno para adoçar este instante perfeito.
Pintam estrelas no horizonte e esta avalanche de brilho e cores anunciam  futuras auroras.
A cor, o cheiro, a forma, a languidez, o afeto, a harmonia, a tépida carícia, a brisa que murmura e o espaço estrelado fundem-se e se agarram entre os desejos e esperanças.
Amarro o encanto, mergulho na harmonia e deixo-me embalar por esta emoção poderosa .

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Meu Silêncio




Me, aquieto.

A alma sem defesa se queda, perdida.
Sinto o infinito a sorver toda a tristeza do mundo.
Sou alma, entalhada, hirta de agonia, sem harmonia e que tateia abandonada.
Fulgidio, o compromisso com a alegria paralisa meu sonho lindo, e vivo toda a nostalgia do amor e das trevas.
Estendo-me a sombra.  Quero aninhar-me aos ecos do passado e ao sopro das saudades, mas a dor a vida se mistura.
Nesta treva densa, calo-me e espero.
A vida há de florir outra vez.




sábado, 22 de outubro de 2011

Significar o Tempo


Significar o tempo parece bizarro, mas é dar colorido ao caminho percorrido e trazer para o presente a importância dos sentimentos, com todos os seus encantos, a graça, os tons, os semitons cheios de mistérios e o silêncio que abriga mágoas e saudades em delicioso torpor.
Semeadas as visões, os momentos plenos se enroscam se agarram e desencadeiam toda imensidão colhida no fundo do coração.
Trago para o presente as rapsódias imortais, os anjos, as nuvens, a luz, o perfume, a alegria, o prazer e a emoção.
Sei que não posso levar teus passos, teus gestos, tua voz ,mas posso despertar a vida num sorriso e dizer-te que o amor aceita, palpita, oscila ,treme , ousa ,espera, ondula, segura e perdura tal como chama acesa.
Com um simples, humano e significativo presente, rendo-me aos momentos, que fizeram deste amplexo uma eterna união.


quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Trago-te flores


Trago-te flores
Aqui os deixo.
Ficam-te os sonhos meus.
Não sem dor, minha alma se dobra, profunda e indefinida, e em lágrimas suspensas, se perde.
A luz como um facho de graça perene se apaga e o seguro passo de um sonho derradeiro, se ausenta.
Rompe-se o elo que se reparte e se espedaça.
È teu o silêncio.
Resta-me tão pouco.
Das minhas mãos vazias sobram somente quimeras.
Quero prender o tempo, mais ele se esvanece.
Não se ouve sequer o barulho da vida em movimento.

domingo, 16 de outubro de 2011

Palavras


Sou pura emoção!
Deste-me asas para voar. De repente a vida sonolenta se enlaça e entrelaça embalada por palavras que invadem, pairam sob minha alma e adquirem vida no meu coração.
 No silêncio, como serenas açucenas, no enleio da aragem que pranteia, criam imagens no mundo imaginário, e desatam o encanto dos sonhos que adoçam a viagem.
É o despertar da alma que entusiasmada faz do universo um novo palco onde a vida generosa ensaia momentos que arrebatam, seduzem, elevam e embriagam.

Abre-se a vida – o espírito soergue- se.Um novo mundo crio.  Amorosa e muda toco no infinito.
De tudo o mais belo é porque, mais que um sonho, é um anseio, é uma espera e é uma nova canção.

domingo, 9 de outubro de 2011

Criança

Criança traz sol , felicidade e esperança no olhar. 
Diego o menorzinho da última geração



Minha homenagem à todas as crianças.




 -      Tia, compra uma balinha?

Olho, deparo-me com um criança.
Vestido roto, pés descalços, caixa nas mãos. Pacotes de balas, com certeza.
Imensos olhos cor de mel. Não há como não os notar. Expectativa, esperança, encanto e deleite.
Sentimentos contraditórios a fluir no abismo profundo das escuras pupilas que me fitam. Fração mínima de tempo. Caledoscópio de cores, infinitas emoções.
Inocência pura – pura inocência.
Sensação boa! Compro as balas. É pouco, quero ajudar. Devolvo-as. Mensagem muda, largo sorriso aparece. Felicidade plena!
Gosto de festa. Carinho avassalador. Limpidez de alma, um mundo a vislumbrar.
-Obrigada tia.
 Atônita observo ato imediato, repassar, como presente, a outras mãos.
Protesto :
  A intenção era ajudar, não presentear.
Olha-me de viés, com surpresa . Calo-me. Recado imediato recebo através daquele coraçãozinho que vibra com o ato de doação.

Levanto-me de onde estou. Saio caminhando e na tarde que se esvai firmo o meu pensamento, meu desejo e em sintonia com o universo surge-me a certeza – nada e ninguém ,nem a vida há de vencer e de domar aquele indômito coraçãozinho.