sexta-feira, 29 de junho de 2012

Tempo Perfeito



Presente de um tempo, perfeito!
É como se a cadência deste meu coração valente tamborilasse como brisas em meus ouvidos e sacolejando fizesse, dos sentimentos, felicidade inexplicável.

Trago para bem perto, retrato desbotado, pequenos pedaços de vida, profundos e indefinidos, imaginados, extraviados para sempre.

 Mesclo meus pensamentos e suas singularidades, cubro distâncias e vou ao encontro de cada detalhe, camadas de mistério, marcas invisíveis e plasmadas na memória.

Inquieta como o vento, reverente ao silencio que me acompanha nesta busca, respiro saudades, ouço os acordes do coração, sigo o curso do momento e cada modulação e sutileza tropeça em algo inestimável e essencial.


Salpicado de espontaneidade, genuíno sentimento, faz desta luz romântica interior gosto de poemas, suavizados em pálida harmonia como lírios que flutuam em águas tranquilas.



segunda-feira, 25 de junho de 2012

Anoitece



Preencho o tempo à espera do rumor da aragem que inunda a lua de sombras e traz o perfume da terra mãe que renasce ao tom da nova estação.

E... como é suave o vento que arrepia e me enlaça conduzindo o frescor do fim de tarde.

Posso sentir o fluxo do ar noturno desprendido do sol que invade a natureza e imerge no meu mundo.

Irresistivelmente, o giro eterno, translúcido, na mansidão que rola, abraça as sombras e das nuvens tomba.

Desmaiadas as cores, o céu se veste de festa, e escurece.

Deslumbrante a lua se espraia pela escuridão como um tapete espargindo raiados pontos de luz.

Soltas, aladas, miragens infinitas, as estrelas pairam suspensas e se alastram pelo infindo espaço numa trama de um rendilhado etéreo e brilhante.

Curvo-me diante desta beleza eterna que me surpreende e comove com suas proporções  inverossímies e permanentes.

 A beleza me esmaga e me vence entre as asas da luz e ondula pelo meu rosto em graça fluente e benfazeja.

A natureza feiticeira, em belo espetáculo adorna-se  e nos presenteia neste belo cenário que dá  a vida, feitiço e magia.


terça-feira, 19 de junho de 2012

Pensamento




Abandono-me  neste casulo secreto,
Refúgio etéreo,
Funda escuridão.
Longa paz rompe a inquietude da alma,
Transborda e dilata a imaginação.
Anjo sem asas,
Vastos voos do espírito
Celebra, esmiúça e,
Faz a mente voar


quinta-feira, 7 de junho de 2012

Alegria



A alegria, tal qual a luz de uma
nova amanhã, faz o coração galopar no peito, a fim de sonhar com o paraíso.

O tempo assume o tom adequado, clareia recantos, aplaca ansiedades, retém momentos para que não se desvaneçam e proporcionem à vida, um sentido de aventura.

Os tons, cinzas se perdem e os dragões adormecidos de um espírito compassivo rompem os laços da vida, tresmalhados.

Abençoados em plena floração despertamos e assumimos o sublime lume com estrelas nas mãos, feito desmanchadas flores.

Agarrados, fortemente, carregamos o céu nos limites de uma emoção poderosa.

Asas ao vento, a alegria faz movimentos na alma e se abre num belo sorriso.

Caminhamos, em estado de graça seduzidos pelos sonhos e as ilusões da vida a dedilhar  belas sinfonias.