quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Aliança




   Indulgente pacto com a vida travas,

 Tal qual forja forte,

Fortuita aliança, crias.

Descansas sob meus próprios ombros

E insondável, caminhas.



 Compassiva e absorta te ajustas,

Na placidez das sombras, derribas e descansas,

No morno vento que se abrasa lento

A luz doce, fumarenta névoa,

Tal qual o sol que descamba e dorme.



Silenciosa, iluminada e desmedida sanha,

No sagrado cerne da eterna chama buscas,

Tranças teu manto que de fantasias teces.

Quimera pura - qual sonho alado

Ao meu lado vives.


(In Além dos Fragmentos)



quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Minha Princesinha Baby



Minha princesinha  me deixou. Como disse um  amigo, virou uma estrelinha.
Restou a dor da perda, da companhia e a casa vazia.
Saudades infindas...


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Coração Feminino




Coração de mulher sonha, espera, deseja e se entrega plenamente.

Vê beleza nas coisas simples da vida, se comove, se emociona e se depura nas lágrimas que aparecem, em abundância, quando a vida  decepciona. Lágrimas vertidas, escorridas que sangram as mágoas e o peso das perdas.

Reinventar-se, desfazer e refazer faz parte do desejo de vencer os desafios, enfrentar e impor-se aos desconcertantes momentos, as frustrações, carências, e aos desencontros que a vida obstinada teima em deixar acontecer.

 Ancorado na firmeza feminina se faz tenaz, capaz, indomável, invencível, convicto e confiante.

Veste e desveste máscaras, para  buscar  ternura nos momentos agridoces  da vida  e enfeitar de sonhos  a quietude que paira nos desvãos da caminhada.

Cria simpatias, afetos transitórios, alguns desafetos e deixa-se levar pela ira, pela fúria - se ressente, mas nunca deixa de aquecer novos sentimentos, de recuperar o riso espontâneo e arrebatar-se com a felicidade infinda.

Mas, é o amor, este sim, quando se insinua e faz abrigo é que enfeitiça, cativa, traça ternuras, se doa, amacia, se enche de carícias e afagos para povoar, prender e tornar leve o coração.

De luz e de lirismo, emocionado, transfigura-se inteiramente, para celebrar a vida e as sinuosidades do destino.


Estou no http://semolharescriticos.blogspot.com.br
da amiga Malu - conheça este Blog

domingo, 11 de novembro de 2012

Alma Inquieta



Alma despida
Inquieta,
Resiste vagueia
Arida,
Vacila incerta

Desdobrada,
Enrola-se e pende
Como uma folha molhada
Banhada de pranto




domingo, 4 de novembro de 2012

Na Distância


Asas soltas, frágeis, inquietas, no tempo do vazio que corre impelem seu voo num ato de energia incompreensível.

Delirantes se armam, desarmam e sobrevivem ao breve sopro que supera os medos, despe a alma e contagia os desejos.

É o despontar de um sentimento suavizado pelas promessas espalhadas na treliça das palavras que cobrem distâncias.

O vento sopra morno e perfumado .
No calor a vida abre portas e janelas para deixar a docilidade do olhar aninhar-se aos céus e ver quão lindo é o brilho das estrelas , o mar riscado de vagas e o tapete florido dos campos.

Lume infindo fecha as arestas.

Acordada a vida desabrocha. A poesia se constrói no silêncio da emoção, se desprende e alcança a luz com a mesma leveza que faz flutuar o mundo para dar passagem aos deuses do destino e a nós dois poetas  e sonhadores.