domingo, 23 de março de 2014

Senões


Borro a vida de senões
Deixo as certezas serem carregadas, pelo tempo em desalinho.
Tenho dúvidas!
Sou refém deste movimento de desaceleração.
Fecho-me na dor da minha solidão.
Estendo minhas asas, quero voar. Nem a lentidão do ato é capaz de me levar além.
Estou perdida nas minhas vontades.
Não escuto minha própria voz. O som se perde e se espalha no silêncio e se escora na esterilidade da alma
Sei que não é omissão, nem teimosia - é trégua, é tempo para deixar a vida se alinhar, curar – se, repaginar a história, para então expor a imaginação, reviver os sonhos e fazer do amor regresso.



sábado, 8 de março de 2014

Minha Homenagem às Mulheres no seu Dia

Coração Feminino

Coração feminino sonha, espera, deseja e se entrega plenamente.

Vê beleza nas coisas simples da vida, se comove, emociona e se depura nas lágrimas que aparecem em abundância, quando a vida  decepciona. Lágrimas vertidas, escorridas que sangram as mágoas e o peso das perdas.
Reinventar-se, desfazer e refazer faz parte do desejo de vencer os desafios, enfrentar e impor-se aos desconcertantes momentos, as frustrações, carências, e aos desencontros que a vida obstinada teima em deixar acontecer.

Ancorado na firmeza feminina se faz tenaz, capaz, indomável, invencível, convicto e confiante.

Veste e despe máscaras, para  buscar  ternura nos momentos agridoces  da vida  e enfeita-se de sonhos  na quietude que paira nos desvãos da caminhada.

Cria simpatias, afetos transitórios, alguns desafetos e deixa-se levar pela ira, pela fúria - se ressente, mas nunca deixa de aquecer novos sentimentos, de recuperar o riso espontâneo e arrebatar-se com a felicidade infinda.

Mas, é o amor, este sim, quando se insinua e faz abrigo é que enfeitiça, cativa, traça ternuras, se doa, amacia, se enche de carícias e afagos para povoar, prender e tornar leve o coração.


De luz e de lirismo, emocionado, transfigura-se inteiramente, para celebrar a vida e as sinuosidades do destino.