domingo, 21 de agosto de 2016

É PRECISO SER FELIZ


É preciso resgatar da alma
Um pouco da grandeza  esquecida
Da delicadeza adormecida na rudeza da caminhada
Aquele sopro da brisa, sutil afeto escondido e perdido,
Tocado de infinito.

É preciso buscar no largo sorriso, nas mãos o carinho
E a esperança dispersa, feiticeira perpétua,
Que rouba  o sonho , arrasta  a emoção,
a luz e o fulgor.

Levado pela vida,
É preciso reconhecer a direção dos ventos,
 Perseguir a beleza,  a graça ,a candura
 E a doce loucura do amor.

É preciso  reinventar-se;
É preciso ser feliz
Recuperar a força  desta razão...



sábado, 20 de agosto de 2016

Relembrando


Março, 2016 - Sevilha /Espanha

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Premiação






Medalha Fernando Pessoa - Prêmio de Honra e Mérito


Troféu Literarte " Melhores do Ano 2016



domingo, 31 de julho de 2016

CORAÇÃO INQUIETO




Ah coração inquieto!
Livre sequioso
Deixe que a calma se alastre
Escorra em silêncio, lentamente
E navegue a beira do sonho.
A vida é canto solo
Despe-te de teus fantasmas
Sem sombras, sem agasalho e sem pressa.

Sem divagações
Acorda tuas emoções
Dá-me teus versos
Deixe que fique apenas
O poeta e o sonhador.


sexta-feira, 13 de maio de 2016

segunda-feira, 2 de maio de 2016

SEIVA AGRESTE

MUSEU DO LOUVRE ( foto Eloah 2015)

Agreste anônima seiva
Moldada pelo tempo
Abraçada no silêncio
Repousa junto ás saudades.

Construtora de quimeras
Sob as bênçãos da natureza
Na modulação dos ventos
Paira serena
Como se a mão da vida

Fosse apenas doce carícia.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

A VIAGEM



No Pavilhão Espanhol em Sevilha - março 2016

Dou tempo ao tempo
Preparo o meu coração
Levo minha alma além,
Bem mais além.
Preparo a mala
Na bagagem amarro meus sonhos
Que se espraiam, em espantado bailado.
Junto a expectativa,
Centelha das esperas e das certezas
Há tanto acalentadas.
A viagem é sopro de um antigo desejo tardio
Sopro que se espelha, ensolarado,
Despertando novas memórias.
Quero novos olhares
Muita beleza
Outras histórias
O velho e o novo
Quero tempo
Aventuras
Conhecimento
E o pulsar junto a vida.
Passageira nesta viagem,
Em liberdade,
Nesta hora,
Sem perder meu norte
Sobraçando meus sonhos
Sem medo, vou em frente.
Abastecida de emoção
Embarco
Sigo!
                                                                    

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

SENSIBILIDADE


Sensível e furtiva
A alma se assenta
Voa o espírito
Busca sua luz
Abrem-se redomas
Incorporam-se sonhos.
No místico embalo
Debruço- me
e
Em profundo devaneio
Bordo meus versos.