terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Palavras


Vem... deixe que as palavras 
esfreguem as nódoas,
desembaracem os caminhos
 e os labirintos que as margeiam,
 para que caibam todos os momentos 
que estão no seu coração 
como páginas avulsas sempre 
em sobreaviso 
– reflexos de sombras solitárias.

Conceda-lhes o dom de defesa e do diálogo para senti-las agitarem 
dentro em si e varrerem as dúvidas e
 os resíduos enraizados e  amaciar
 o fardo das memórias.

Não haverá veredictos,
 mas sim alívio e muita claridade.
Creia, a realidade pode ser surpreendente.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Simples Versos



Sinto o macio da terra, de súbito, a escorregar entre minhas mãos.
A magia da vida dança ao sol em infinitos pontos de luz e faz o vento trazer da terra uma ceifa de cores.

Lufadas de ar frio carregam o perfume das rosas, a carícia e a beleza das flores e se misturam ao doce aroma da enflorada natureza.

É a vida que respira sonhos emerge, purificada e bela, como os primeiros brotos da primavera.
Como um molde de fantasia, a poeira se arrasta, rola, tempera e se perde entre a brisa vaporosa.
Acolhe o universo como chama energizada porejada de luz.

Tenho sede de vida!
Transe poético jorra em abundância.
Versos simples povoam os cantos desdobrados e soprados pela brisa.
Quimeras, sonhos, crenças, ousam , se enroscam na quietude, arrebatam meus sentidos e despertam as palavras.

O poema que nasce é luz perseverante feita de estrelas, ventos e entalhados sentimentos  que te trazem, como dádiva, cada vez, para mais perto de mim.