sábado, 10 de dezembro de 2011

PARTIDA


Solto as amarras que me prendem
Arranco num sopro
As raízes que me cercam,
Mas presa no meu medo antigo,
Sem referencial,
Perco-me no momento e
Esqueço que existo.




13 comentários:

  1. Oiiii
    O medo nos paralisa, não é querida, mas desse medo todos já provamos. São momentos que precisamos viver para nos fortalecer. Um ótimo fds, com todo carinho e amizade.

    ResponderExcluir
  2. E assim partimos, sem referências, solta mas presa aos nossos limites.
    Como sempre textos lindamente poéticos. Parabéns!
    Um lindo fim-de-semana para você!
    Lembranças
    Ange.

    ResponderExcluir
  3. Eloah do meu coração de melão,

    há certas coisas que nos acontecem pelo caminho que nos deixam presos a esse tal de medo, mas aprendemos a nos libertar quando depois de muita luta deixamos o amor fluir mais alto e dele vem uma coragem que desconhecíamos anteriormente. Acredite, isso acontece.

    Um super abraço pra vc minha flor com amor e carinho :)

    ResponderExcluir
  4. Minha amiga o medo do desconhecido está inerente a todos nós, temos de aprender a vencê-lo para conseguirmos soltar as nossas amarras e ir mais além.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  5. Bravo amiga querida!

    Mais uma arte em palavras.
    Digno de um livro!

    Bjs e um ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  6. Já soltou as amarras e arrancou as raízes. Já percebeu que prisões são por nós construídas. Mas nos acostumamos a elas e temos dificuldade para sair e respirar, olhando a vida de maneira diferente e com novas perspectivas. Somos humanos. O desconhecido nos assusta. Temos, porém, impulsos de sobrevivência arrebatadores. E com eles, continuamos a caminhada.
    Você sempre deixa a sensibilidade falar mais alto. E encanta.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Um momento de sentimento único...beijos querida e uma bela semana pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Olá amiga. Profundo sentimento! Soltar as amarras e raizes é algo profundamente doido más necessário. Más as marcas ficam pra sempre em nosso coração! A sobrevivência é necessária e assim seguimos. Bjos amiga querida e obrigada pelo seu carinho. Bom domingo!

    ResponderExcluir
  9. Li...e a sensação com que fiquei foi a de um voo como que planando sem direção definida, pela simples sensação de liberdade, com rumos indiferenciados...
    ...e às vezes os fios que nos prendem, mesmo que ténues, são amarras feitas prisão.
    Bom às vezes soltar amarras e preencher vazios!
    Linda poesia Eloah!

    ResponderExcluir
  10. Solto as amarras que me prendem
    Arranco num sopro
    As raízes que me cercam,
    Mas presa no meu medo antigo,
    Sem referencial,
    Perco-me no momento e
    Esqueço que existo.


    Soltar as amarras que nos prendem e arrancar as raízes que nos cercam é algo extremamente libertador...o medo, devemos enfrentá-lo, sem ter medo de ser feliz...e aí, o nosso reencontro conosco mesmo...

    Nossa, Eloah, que lindo isto...gostei demais...

    Beijos no coração...

    ResponderExcluir
  11. Boa noite querida !
    Com o coração cheio de saudades venho fazer-te uma visita que amo fazer...pois na forma como escreves deixa nosso coração cantando o hino maior que é o amor...
    bjs minha flor de girassol!
    Tbm quero convidar-te a passar no recanto dos autores que estou no bate bola da Anne Lieri...
    http://recantodosautores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oie lindona.

    O medo temos que enfrentar, ele nos paralisa e nos impede de voar, então soltemos as amarras e sigamos.

    Beijos querida e ótima semana.

    ResponderExcluir

De fragmento em fragmento vou compondo a minha história.Obrigada por fazer parte desta historia.

Fragmentos

Fragmentos

Recomeço

Recomeço