terça-feira, 28 de julho de 2015

INSÔNIA


Na batida das horas
O  sono se gasta
Consome o tempo
Devora a imaginação
Nas idas e vindas...voa
Nem mesmo as sombras
Nem o apagar das luzes
São capazes de deter
A dança dos pensamentos
Que germinam no inconsciente
E se vestem de cálidas esperanças.
Abrem-se frestas no silêncio das profundezas da alma.
No peito vagam searas e doces remansos,
Como beijos de auroras
No sono perdido, sem máscaras, nem pecados
Caminham os sonhos
No corpo em desalinho vestígios de dor,
Desejo, amor e saudade.
No olhar preso no nada o
cansaço empalidecido ,violado, purificado.

No pensamento ficam queixumes, crenças, segredos, solidão, afeição e ... a lentidão compassada do tempo. 

4 comentários:

  1. Linda insônia, que originou bela inspiração! Bom te ver"! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga Eloah
    A tua forma ritmada , fica impregnada de tal musicalidade como se os sentidos já fossem música
    Belo como sempre!
    Terno abraço

    ResponderExcluir
  3. Obrigada amigas. Que bom te-las aqui. Bjs no coração. Eloah

    ResponderExcluir
  4. E como voam os pensamentos quando a noite chega e não traz o sono! Demora a aurora a surgir. Há penas e pesos nessas horas, que se prolongam. Muito lindo! Bjs.

    ResponderExcluir

De fragmento em fragmento vou compondo a minha história.Obrigada por fazer parte desta historia.

Fragmentos

Fragmentos

Recomeço

Recomeço