sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Crônica; A Praça

Praça XV de Novembro/Florianópolis/SC  e sua  Figueira centenária

Não sei se sou eu, ou o próprio dia. Só sei que o destino vagando, sem aparato, despreocupado partilha comigo as suas benesses.
Da janela, onde estou, vejo a praça lá fora. Estranho, penso eu, não ter feito um dia, o que invejo agora. Sentar num banco, nesta mesma praça, e deixar o tempo escorrer vendo o burburinho da vida passando.
Enterrar o rosto na ensolarada tarde fagueira e sobranceira, e fazer brotar, espontaneamente, um monólogo interno com a vida - apaixonado escrutínio - perfeito texto da criação.
Apreciar o cortejo, faina diária constante, este ir e vir apressado das pessoas – singular evolução - evasão de cores derramando suas tintas, induzindo-nos à suavidade e subjugando-nos a enfeitar os parapeitos da alma inacabada.
Na revoada, na debandada dos pombos e no aroma misturado ao perfume das flores engalanadas, sentir a luxúria e a ternura presentes na natureza.
Espiar os rostos, as rugas e os sorrisos francos dos jogadores de dominó, curtidos pelo tempo, entrevendo a alegria sentida nestes doces momentos de desafio, que a vida lhes brinda, ainda.
Conforto gentil, mão divina, perpassa, poreja, agasalha, ilumina e gorjeia seus cantos de amor.
Lá fora, flautistas anônimos, em sintonia com este momento, deixam manar, verter, fluir através dos seus instrumentos, como carícias generosas e afinados sons que aliviam a tensão do tédio e da letargia imposta pelo improdutivo dia.
Deixo na morosidade do momento, impregnar-me pela serenidade dessa harmonia que ao meu espírito soergue e vai pelos desfiladeiros da mente transformando-se em infinita paz.
Sons fortes ou cristalinos, enflorados ou indefinidos, emprestando asas lilases ou, de quaisquer cores, não importa, o que vale é o atrevimento de dar saltos à imaginação.
Momento ímpar este, que nos permite deixar de lado a mediocridade e suavizar a couraça da solidão – um reinado de suaves sentimentos inimagináveis.
Consoladora arte, dom predestinado que nos faz coadjuvantes e cúmplices da essência da beleza - transcendência de puro êxtase.
A música sempre me fascinou e com certeza, também, a todos os que se agrupam em torno dos músicos que, através de suas flautas derramam os fluidos sons, trescalando e magnetizando o ar. É como se fosse estar em lugares outros e o destino fosse menino e nós todos, os afortunados, a voltear brandos, em outras esferas e eras.
Algo sagrado que comove e vai penetrando através dos músculos e do sangue a nos levar além, em plagas outras, transformando nossa alma num lugar seguro e precioso, onde os anjos possam vir a descansar.
Amplitude invisível, círculo perfeito de repouso, catarse purificadora, a música, com certeza, realça regiamente, com lirismo, o longo poema da vida que escrevemos.
Intocado, ilibado e velado sentimento percorre as sinuosidades e as silenciosas veredas da alma e dominado pela cena perfeita, imprime ardilosamente, passageiro e cauteloso otimismo, pois, toda beleza tem limites sobre nós.
E, assim, remida do quinhão da solidão, entusiasmada abro a janela e deixo entrar, com plenitude, o barulho animado dos passantes e a lírica melodia – dádiva e eloqüente afirmação de que nos requintados ou solitários momentos da vida sempre existirá a sombra protetora e o amparo de um Deus generoso.
Poesia sem palavras, feita guerreira dos ventos ou como Rei Midas, quero, mesmo que em pensamento, ali nesta praça, transformar o monólogo em ouro estabelecendo um diálogo com a vida, e em homenagem a beleza insuperável do momento, inundar meus sentimentos à luz gloriosa dessa tarde feiticeira.
  

25 comentários:

  1. Uma crônica emocionante, momentos de uma beleza intensa que alimentam o espírito e renovam o ser. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Não basta ter uma janela, uma praça e uma figueira. Tem que ter olhos,coração e sensibilidade de um poeta, e nisso Eloah, você é mestre. Emocionante sua crônica. Agradeço sua presença no meu cantinho, você é muito gentil e delicada com todos. Uma ótima noite, lindos sonhos, bjs

    ResponderExcluir
  3. Boa noite...e depois que o silencio se foi, sentei-me debaixo daquela figueira em tua praça e pude ver-te na janela, toda faceira, a observar a sua gente passando...pra la e pra ca....correndo ou andando, passeando ou indo trabalhar...pude ver no teu olhar, uma alegria impar, que escapava num sorriso meio de soslaio, mas que nos encantava, a todos que por ali passava e podia admira-la...me empolguei, bjin e fique com DEUS!

    ResponderExcluir
  4. Visitei sua praça através de suas palavras em minha imaginação. Sentia-me muito só, mas depois de ler a tarde "feiticeira", sinto-me melhor. Ah! Parabéns pela bela música que nos proporciona ao invadirmos seu espaço terno e maravilhoso!
    Boa noite minha amiga!

    ResponderExcluir
  5. Nossa! To sem palavras!!!
    Lindo o texto, amiga!
    Deixo meu boa noite pra vc!

    ResponderExcluir
  6. Oi Eloah querida,

    seu texto me fez pensar nas praças de minha vida...

    e quantas praças "passam" pela nossa vida e nem prestamos atenção...

    Abraços amiga e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  7. Eloah, senti saudades de minhas praças nas suas, e muita vontade de abrir esta janela e ser par de seus diálogos com a vida. Há muita paz em suas letras e me desculpe se me aproprio dela

    Obrigada, beijoooo

    Estercita

    ResponderExcluir
  8. Minha linda e querida amiga!
    Como sempre passo por aqui para beber das tuas poesias.Hoje sou surpreendida com uma crônica tão linda que pensei que estava abrindo a janela real para a vida.Penetrei nas minhas praças e vivenciei com os meus olhos tantas coisas que me senti grata...
    bjsssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  9. Beleza mesmo! Sentado aqui, lendo e ouvido a musica, os pássaros nos ramos pare-sem acompanhar com o canto, toda a leitura desse texto.
    Eloah você tem um Dom divino, para escrever.

    Hoje consegui comentar. A Danny me ajudou muito a resolver tudo isso aqui no meu blog.

    Beijos e abraços querida amiga!
    Continuação de um óptimo final de semana para você Eloah.

    ResponderExcluir
  10. Eloá..foi um prazer te receber lá no meu cantinho.
    Ja me aportei por aqui.

    Ve o belo quem o tem dentro de si. Muitas vezes olhar só não basta. Tem que olhar com o olho da alma...do coração..ai sim..daremos valor a estes momentos chamados de felicidade!!

    ResponderExcluir
  11. Simplesmente maravilhoso querida amiga.
    Bom domingo
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  12. Eloah, querida!
    Minha nova amiga!
    Voltei para te agradecer o carinho por lá, no meu cantinho e de minha amiga Ma Ferreira, que já está aqui! Que bom! :)
    Beijos e ótimo domingo!

    Volte sempre, estarei aqui também!

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Parabéns pelo blog! Estou seguindo.
    Segue lá também..

    http://estanteseletiva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Momentos esses que são capazes de nos proporcionam desvendar as belezas na simplicidade da vida!

    Muito lindo Eloah!

    Um beijo grande em seu coração...
    Verinha

    ResponderExcluir
  15. Que olhar maravilhoso este seu. Uma praça pode ser lugar que desperta profunda paz e felicidade, depende do olhar. Lindíssimo texto.

    Beijos Eloah!

    ResponderExcluir
  16. Um bom domingo e uma excelente semana pra ti minha amiga,,,muita paz e poesia...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  17. Parabéns Eloah!

    Viajei nessa prosa poética para uma praça distante, que a arte fez encantar. Abri a janela da imaginação e com os ouvidos e olhos da alma, pude captar suas imagens e sons.

    Um abração e boa semana.

    ResponderExcluir
  18. Minha querida Eloah: Nuestros pensamientos parecen volar cuando el alma reposada les deja libres y van dándose la mano unos a otros para hacer pasar nuestra vida delante de nuestros ojos.

    Visión de las personas y de sus historias arropadas por una música que nos hace entrar en contacto con los ángeles.

    Es un precioso escrito, Eloah. Felicidades. Tienes un alma hermosa.

    Brisas e beijos.

    Malena

    ResponderExcluir
  19. Beleza insuperável do momento deixar inundar meus sentimentos... Que lindo amiga!!! Viajei em tuas palavras!!
    Bjss e um ótimo começo de semana pra ti flor,
    Bjsss

    ResponderExcluir
  20. Eu me senti na praça, em êxtase, diante da forma poética com a qual descreveu cada detalhe. Uma pintura em movimento, alimentada pelo som musical.
    Momentos em que voamos e nos esquecemos de paredes e portas. Muito belo!!!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  21. Lindíssima crônica mostrando toda tua sensibilidade e olhar apurado e atento! beijos, linda semana,chica

    ResponderExcluir
  22. Que lindo minha amiga!
    linda amiga, fiz um selinho para todos os meus amigos, fiz com todo carinho e amor! Ficarei feliz se aceitar, beijos carinhosos

    ResponderExcluir
  23. Olá amiga Eloah. Bela crônica! Viajei no texto. Sensibilidade, perfeição, delicada nostalgia nesses versos. Adorei amiga! VC é maravilhosa. Linda semana pra vc! Todo meu carinho. Bjos!

    ResponderExcluir
  24. Eloah querida, de domingo eu não fico na janela a olhar a praça eu gosto de ir até lá e curtir o silêncio que lá tem. ehe Geralmente levo um livro e fico lendo, domingo é um dia calmo e dá pra aproveitar toda a sintonia da natureza. E é uma delícia! Voei no seu texto!

    Boa semana linda, bjokitas com master carinho :)

    ResponderExcluir
  25. Olá meu da França! Depois de ter visitado o seu blog, eu poderia ir e sem comentários. Quero parabenizá-lo em seu blog!
    Talvez eu teria a oportunidade de recebê-lo em meu também!
    Tenha um bom dia
    cordialmente
    Chris
    http://sweetmelody87.blogspot.com/

    ResponderExcluir

De fragmento em fragmento vou compondo a minha história.Obrigada por fazer parte desta historia.

Fragmentos

Fragmentos

Recomeço

Recomeço