terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Felicidade


Se eu pudesse congelar o tempo,

escolheria este momento,
exatamente agora,
nesta pouca hora
de uma Quarta feira.
O gerânio novo
enfeitando a prateleira,
O riso de criança
brilhando lá fora.
O livro aberto
no lugar certo, que simplesmente diz:
“Eu não tenho nada,
mas rouxinóis gorgolejam versos na calçada”
É assim que se começa a ser feliz.

Um comentário:

De fragmento em fragmento vou compondo a minha história.Obrigada por fazer parte desta historia.

Fragmentos

Fragmentos

Recomeço

Recomeço