quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Não Sei


Não sei mais quem, és.
Vejo-te um instante, depois me perco deste olhar.

Todo o impulso delicioso da chama que nos une se mistura na ansiedade dorida e calada. Incertos os pensamentos revoam como aves de verão ao fim da tarde.

Ergo a vida, amarro no infinito e com um rito precioso entrego, a ti. E tu serás como um sonho, feito  de desejos.

Procuro o sentido da ilusão.Penetro no mistério das nossas solidões.
Quero fazer desta dança entre o improvável e a realidade, passos que levem ao encanto e a calma, serena, da doce apoteose.

Quero partilhar contigo o preciosismo do sentimento que floresce para a vida, fecundado de amor.

Se, és quimera ou doce alento, não sei, só sei que de emoção embevecido meu coração respira.


segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Pensamento


 Deixa teu pensamento
Voltear
Disperso
Imerso
No universo.

Deixa teu pensamento
No nevoeiro
Suspenso
Inteiro e
Solitário.

Em outras esferas
Sem sombras
Que assombram
Desce teu véu
Espia o céu.



sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Mensagem


Vai em busca de teus sonhos.
Constrói a tua jornada.
Amacia teus caminhos, com elegância e abundância.
Não abafes teus desejos - mas não vivas só de ilusão.
Luta arduamente e ultrapassa teus escuros corredores.
Vibra!
Afaga tua alma e vive com paixão.
Não esqueças teus ideais.
Corre a favor dos ventos, mas descansa em brisas frescas.
Ultrapassa teus limites,  aceita sem receio,  elogios e  aplausos da platéia.
Convive com as tuas experiências -  mas crê , muito há de acontecer.
Descobre teus talentos e busca  as tuas oportunidades.
 O sucesso é sempre a meta.
Ouve , aceita e reconhece o outro.
Partilha, muda o passo, muda o curso - incorpora.
 Recompensa é a união de forças.
Fala. Divide teus sentimentos, não vivas  a beira do mundo.
 Tu és parte da história.
Sê inteiro, sintoniza com o universo
Afasta teus fantasmas e vislumbra a tua morada.
Livra-te das  sombras e das arestas. A vida é prenhe de belezas.
Seduza teu coração
 Acaricia as tuas lembranças e espalha as tuas saudades.
Foge das tuas tristezas e levanta  grandes vôos.
Sacia a tua vontade, conta as estrelas e canta uma canção.
Brilha. Sê feliz!
Aproveita  essa chance.
Vive!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Lágrima


De tanto segurar a vida
De tanto enganar o coração
De tanto poupar a dor
Escondida a emoção se retrai.
Proibida
Perdida
Esmaecida
Como um sussurro no ar
Se dilui
Escapa, sai
Se esvai.


sábado, 12 de novembro de 2011

Verdade


Hei de te dizer sempre
Mesmo que a voz se cale
Levada pelo vento, desnudada a alma,
Se, creio que o coração te fale.

Hei de te dizer sempre
Ao ver-te, sombra plácida, figura amada
Que acordada lembrança pura,
 No meu peito moras.




segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Silêncio



Prepare o teu silêncio, tal qual uma oração, e te assentas neste repouso secreto desprendida de tudo que intimida.


 Busca a força de uma armadura e a calmaria colhida dentro do coração.

Toca nos teus sentimentos e faça deste momento de beatitude íntima, reverentes pontos perfeitos.

Ouve o silêncio, despe-te dos claustros de dores, funde-se na harmonia e segue por caminhos serenos e livres em busca da tua essência.

Despeje tua augusta poesia atraída pelos mistérios da vida.
Com o peito estrelado, segue com o amor e a ternura acordados, nos indefinidos estados da alma.

Avigorada, floresça e alvoreça. 
Purificada, viva, penetrante e tocante  deixe-se seduzir pelo repouso secreto e pela bem aventurança.

És,  aragem perfumada, és miragens infinitas, és jorro de canções, perfume das rosas, sobejos de sóis, orlas do horizonte, o calor da vida e sentimentos intensos e imensos.

És, enfim,um ponto de luz e a calada ansiedade de quem espera serena no silêncio reverente.


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

SAUDADES


Sou campo minado, sonhos desfolhados e ferida exposta. 
Na distância, a luz se extingue perdida na escuridão. 
Assento no caminho e quero eternizar o efêmero que teima em me abandonar.
Visito o tempo e o vento se ergue e se espalha - a alma se dobra e o universo parece dormir no silêncio que rola.
   Da ausência trago apenas o sopro da saudade.
Da tua imagem sobrou o que tenho dentro de mim.
É... meu coração que insiste em te deixar ficar.