sábado, 29 de agosto de 2015

VIVER


VIVER

Viver é terra fecunda
Espaço amplo de branda luz
Berço e abrigo
Feito espanto, feitiço e promessa

Na longa jornada.
Desdobrada, desordenada,
Colhe perfumes matinais,
E nos tons da graça
E dos sonhos roubados,
A essência e vivência.

Tem cheiro de noites serenas
E o doce gosto de lua cheia.
Na quietude abre-se e fecha-se em ciclos
Como as acácias que nascem, morrem e renascem.

É tempo como vento que passa
Inesgotável de esperança e mudança
Onde o coração voeja
Em líricos versos
Despindo-se em poesia
capaz de acender o peito
E nos fazer voar.





sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Escrever



Escrever é mexer, remexer, buscar, plasmar e moldar sentimentos.
É pegar carona nas alegrias, refugiar-se muitas vezes no escuro da solidão, demolir fantasias e montar retalhos de amor.
É fazer das palavras festa em cada flor, perfume que exala, celeste vento e outras vezes sonhos que se dobram e se espedaçam.
Partilhar doces loucuras, perseguir simples imagens, se fartar de quimeras e vãs esperas.
Traçar com graça a fé que mescla e suaviza, macia e invisível, os intensos sopros da vida.
Viver, florir e sangrar é a vida que nos ceva, fluente, benfazeja e dá sentido a glória de existir



quarta-feira, 5 de agosto de 2015

SOU


Sou reflexo do tempo que busco
Da fúria, do desafio,
Da fantasia, verdade,
E encantamento...
Que permanece.
Imortal te faço
Reconheço
Protegida pela leveza que corre,
Escorrega e voa
Para além dos sonhos.
Das asas faço flores
Vagando num mar de desejos,
Inconstância e quereres
Invadida,
Sinto-me forte
Solto as barreiras, crio raízes
Fertilizo meus sonhos.
Tenho pressa
O tempo não descansa entre as luas
Em segredo, abraçada pelo vento
Serei teu mundo
E tu serás
A vida, o amor, o ardor,
A sede, a esperança e a suave melodia
Porque é aqui
Em nós
Que a eternidade principia.